Uma história de amor sem final feliz


Infames são os filmes e finais de novela. E também as histórias infantis que nos fazem acreditar que o amor sempre vence no final. A mocinha sempre está perto de morrer, ou em perigo, no exato momento em que ela precisa, o mocinho aparece pra salvar. E aí nas batalhas da vida, você acredita que inevitavelmente, vai encontrar um grande amor é que será feliz para sempre.

Mas aí, no momento em que mais precisa chega, você descobre que não é mais a mocinha. E conclui que o amor verdadeiro existe. Sim... ele existe. Mas mocinho (também não mais mocinho) não encontra no amor a força que você achava que existia. E descobre que em apuros, você precisa ser forte e encontrar forças de onde nem mais acredita que possa existir. E a pior das desilusões acontece quando você chega à conclusão de que é possível que não haja final feliz.

É verdade que o ser humano não está preparado para o amor verdadeiro. Nem tão pouco descobre que se entregar a ele, é a chave para a vida fazer sentido. Essa consciência só chega quando não há mais tempo para desfrutar seu próprio merecimento. 

As pessoas se casam por motivos diversos e mantém seus casamentos na grande ilusão de ser um caminho sem volta. Se apegam aos bens materiais e com isso, cultivam o medo, cegando-se para o amor verdadeiro, que muitas vezes senta-se ao seu lado todos os dias no trabalho ou frequenta a sua academia. Às vezes toma café na padaria todos os dias na mesa ao seu lado.

Outras vezes encontram o Amor e até casam com ele, mas a falta de cuidado, diálogo, respeito e atenção, faz com que um não mais reconheça o outro, e a pessoa continua a amar aquele outro do início do relacionamento. O que sobra é saudade do passado e a frustração de sonho não realizado. Ambos se tornam amargos e vivem dia após dia, valorizando o que não tem a menor importância.

A questão é que um dia, o Amor cansa mesmo de tanto sangrar. Junta os seus pedaços e agradece a Deus pela oportunidade de existir. Mas precisa seguir em frente, pois precisa sobreviver em sua essência. E para não morrer, prefere preservar seus sonhos longe da dor. E até se culpa por não ter chegado antes ou por ser ter sido deixado de lado. O Amor é generoso, sensato e desprovido de Ego. Se conhece e sabe os seus limites. O Amor é pra sempre, mesmo que precise seguir outros caminhos. Ele é tão grandioso que, muitas vezes, não cabe dentro de alguns relacionamentos.

Não há nada de errado nas novelas, filmes e histórias infantis. Antes fosse. O problema está na incapacidade humana de ser feliz. 

Afinal, o que justifica duas pessoas se amarem e quererem estarem juntos e não poderem? O que é mais importante que o amor e a felicidade? O que justifica magoar o mais elevado de todos os sentimentos? Passamos a vida buscando por Ele e quando Ele chega, não nos sentimos dignos e nos boicotamos, resistimos a Ele* por medo da entrega e vulnerabilidade. Para amar é preciso expandir e talvez seja aí que more o problema. Muitos acham que não podem mais crescer, ou que já sabem tudo, e se limitam a uma realidade limitada.

E assim, sentimentos verdadeiros plantados em dois corações conectados pela alma, se separam pela divergência de consciência, maturidade e pontos de vista. Verdadeiros Amores serão lembrados pra sempre, porque eles precisam ser vividos. São colocados em nossa vida para nos tornar pessoas melhores e quando isso não acontece, a separação existe. Oportunidade perdida. Game over.

O que pode haver de errado no Amor para tamanha resistência? Às vezes os corpos sequer possuem saúde para sentí-lo pelo simples fato de terem sido maltratados pela própria mente. A mente ilude, destrói o corpo, e leva embora até a imunidade. Como é poderosa a mente humana e todos nós sabemos disso. Mas infelizmente há uma distância enorme entre saber e agir. Se pudéssemos usar a mente ao nosso favor e não contra, quantas coisas incríveis seríamos capazes de fazer?

No final, descobrimos que a razão para estarmos aqui é o grande aprenzado de Amar verdadeiramente e dominar a própria mente. E assim, por fim nessa dualidade inútil e ilusória entre o coração e a razão. Não há como serem opostos, acredite! Essa é mais uma das grandes crenças limitantes impostas por nossas culturas e religiões. Não há razão para vivermos sem amor. Simples assim.

Só é possível alcançar esse objetivo através de autoconhecimento. Não há outro caminho. Mas encarar o desafio exige coragem, porque também o prêmio exige merecimento. A maioria das pessoas preferem resolver questões "objetivas", priorizando o trabalho e com isso, suprem a grande falta de suas almas com conquistas materiais. Mas a Alma suplica por Amor e sem Ele somos incapazes de tornarmos pessoas melhores. 

É exatamente assim que passam milhares de pessoas pela vida. Dormem acordados todos os dias. E passam uma vida inteira substituindo sonhos e desejos na ilusão de alcançar a sensação de completude.

Quantas vidas são necessárias para nos preparar para o Amor? Falta esforço, sobra comodismo. Falta renúncia, sobram excessos. Falta sensibilidade, sobra rigidez. Falta coragem, sobra medo de encarar a si mesmo. E encarar tudo isso nos exige coragem para descobrir que é possível que não sejamos quem pensávamos ser. É possível também que não gostemos do que vamos encontrar. E nesse encontro consigo, sempre é preciso estar disposto a mudar.

Quantas vidas serão necessárias para aprendermos com a repetição? Muitos vivem tão bloqueados que a vida inteira já passou, quando percebem que deveriam ter feito tudo diferente. E nesse instante só resta rogar a Deus por uma nova chance.

Quem sabe meu amigo, numa próxima vida? Atente-se, mais uma vez está deixando o Amor passar...


-


*Amor: escrito com letra maiúscula. Substantivo Próprio. Representação divina na Terra. Parte de Deus dentro de nós. Integração com a unidade. Único sentimento capaz de nos fazer completos. Atualmente comum apenas nas relações entre pais e filhos. Para essa relação, Deus já fez nascer dentro de nós com objetivo da perpetuação da espécie. Os filhos são feitos para também viver seus desafios. Crescem no Amor e também precisarão aprender a amar. Importante mesmo é amar alguém que se disponha a te fazer feliz até seu último dia de vida. O Amor verdadeiro é possivel em qualquer relacionamento humano.


Comentários